Pesquisar este blog

domingo, 12 de maio de 2013

A IDOLATRIA DO REI SALOMÃO

DECADÊNCIA E MORTE DE SALOMÃO

1 REIS 11


A sua idolatria

Salomão se tornou num dos maiores fracassos de toda a história bíblica. A origem do fracasso foi o seu amor por mulheres estrangeiras. Riquíssimo e famoso, não havia falta de reis e príncipes ao seu redor que lhe oferecessem suas filhas, irmãs e parentes em casamento.
A lei não proibia a poligamia entre os judeus, que podia ser até necessária em certas circunstâncias (Deuteronômio 25:5-10) mas Salomão claramente desobedeceu à lei quando, apegado a elas pelo amor:

  • Multiplicou mulheres para si: um milhar delas, entre esposas e concubinas (Deuteronômio 17:17).
  • Muitas das suas mulheres eram das nações com cujas mulheres o SENHOR havia especificamente proibido os judeus de se casarem (Deuteronômio 7:1-4).
As conseqüências desses casamentos, claramente já previstas na lei, inevitavelmente vieram sobre ele: em sua velhice (pouco mais de 50 anos) suas mulheres lhe perverteram o coração para seguir outros deuses.
O seu coração já não era de todo fiel para com o SENHOR, seu Deus, como havia sido o de Davi seu pai. Davi também havia sido polígamo, mas se limitou a tomar para si mulheres israelitas e nunca faltou em sua fidelidade ao SENHOR com respeito à idolatria.
Talvez nos surpreendamos em como Salomão podia deixar o SENHOR Deus de Israel para seguir e edificar santuários para esses deuses cananeus, depois de ter construído e consagrado um tão suntuoso templo para o verdadeiro Deus:

  1. Astarote, deusa dos sidônios: chamada "rainha dos céus", (Jeremias 44:25), freqüentemente associada ao deus-sol Baal (Senhor). Ela equivale à deusa Semiramis da Babilônia, como Baal ao deus-sol Ninrode. Também era chamada Istar, uma das grandes deusas dos assírio.
  2.  Milcom, ou Moloque (rei), abominação dos amonitas: seu deus nacional, a quem se sacrificavam crianças que eram queimadas vivas. Seu símbolo era o Fogo, e o Peixe, símbolos também de Ninrode dos babilônios. Equivale ao Quemos dos moabitas.
A origem desses deuses, como vemos, está na Babilônia, fazendo parte da religião babilônica que é a mãe de todas as religiões pagãs do mundo (não judaico-cristãs). 
Dela lemos em Apocalipse 17. 
Os israelitas haviam sido prevenidos contra adorar outros deuses, particularmente Moloque (Êxodo 20:1-6; Levítico 18:21; 20:1-5).


É de se notar que Salomão não se afastou de Deus de repente. Isso se deu aos poucos ao casar-se, primeiro com uma princesa do Egito, depois outras princesas, muitas das quais cananéias. Para agradá-las ele permitiu que continuassem na sua idolatria e eventualmente construiu santuários para que ali oferecessem incenso e fizessem sacrifícios aos seus ídolos. Por fim, ele próprio comparecia com elas para assistir e tomar parte nos rituais. Um "pequeno" pecado só para agradar os outros ou para manter uma amizade que pode ser o primeiro passo no caminho que nos afasta de Deus.

Deus conhece a nossa natureza e as nossas fraquezas, e os seus mandamentos são sempre para o nosso bem. Quando alguém não os obedece, as conseqüências inevitavelmente se seguirão. Não é suficiente conhecer a Palavra de Deus, ou mesmo crer nela: é preciso obedecê-la em todas as nossas ações e decisões. Tal qual Salomão, o homem mais sábio que já existiu, nós não somos tão fortes quanto pensamos.

O SENHOR aparece pela última vez a Salomão

O SENHOR se indignou com Salomão por causa da sua infidelidade (suas mulheres lhe perverteram o coração para seguir outros deuses.), e lhe apareceu novamente, pela terceira e última vez, avisando que o reino de Israel seria tirado do seu filho e dado ao seu servo, porque Salomão não havia cumprido com a sua parte da aliança feita após a dedicação do templo. Mas em consideração a Davi e por amor a Jerusalém ele permitiria que a sua descendência ficasse com uma tribo (além da tribo de Judá que era a de Davi).
                           

                              Aparecem os inimigos


A paz que existia no reinado de Salomão, e que lhe havia permitido dedicar todo o esforço da nação em atividades pacíficas dando-lhe uma invejável prosperidade, começou a ser ameaçada pelos seus inimigos. "Para os perversos, diz o meu Deus, não há paz" (Isaías 47:21). Três deles são descritos aqui:

  1. Hadade o edomita: da linhagem real de Edom, ele havia fugido ainda muito jovem para o Egito com alguns dos seus homens quando o rei Davi conquistara Edom. Este era um território, atualmente da Jordânia, de importância estratégica pois controlava o caminho para o mar Vermelho. Hadade casou-se com a cunhada do faraó, e voltou para Edom durante o reinado de Salomão, dando início a operações militares contra ele.
  2. Rezom, rei de Damasco: bandoleiro, fugido de Zobá onde Davi havia feito um morticínio, foi coroado rei de Damasco pelos seus homens. Ele agora reinava sobre a Síria e detestava Israel, fazendo-se seu adversário todos os dias de Salomão.
  3. Jeroboão da tribo de Efraim: ainda jovem, tinha sido colocado por Salomão como capataz de uma de suas obras percebendo que era homem valente e capaz, moço laborioso. Um dia o profeta Aías revelou-lhe em segredo que o SENHOR lhe daria dez tribos do reino de Israel por causa da idolatria de Salomão. Explicou ainda que apenas uma tribo além de Judá (10 + 2 Tribos = 12 tribos) ficaria com o filho de Salomão, assim afligindo a descendência de Davi, mas não para sempre: é uma profecia do reinado do descendente de Davi (Jesus Cristo) e do reinado de Davi no milênio. Jeroboão e a sua descendência ficariam no trono das dez tribos de Israel, depois da morte de Salomão, desde que ele e a sua descendência ouvissem e obedecessem ao SENHOR em tudo, e andassem nos Seus caminhos, e fizessem o que era reto perante Ele, guardando os Seus estatutos e os Seus mandamentos, como fez Davi. Jeroboão, no entanto, talvez por impaciência levantou a mão contra o rei Salomão, e este procurou matá-lo. Mas conseguiu fugir para o Egito onde foi bem acolhido pelo rei Sisaque.

A sua morte

Neste ponto chegamos rapidamente a um ponto final, como se não interessasse mais saber nada sobre o apóstata Salomão. Quase que desprezivelmente, está escrito "Quanto aos mais atos de Salomão, a tudo quanto fez, e à sua sabedoria, porventura, não estão escritos no Livro da História de Salomão?" Este livro não faz parte do cânone bíblico, e é provavelmente uma crônica do seu reino disponível aos escribas que escreveram o livro de 1 Reis, e que não foi conservada.
É um triste fim para quem começou tão bem e gozou das ricas bênçãos de Deus, prosperando materialmente mais do que qualquer outro dos Seus servos aqui na terra. Mas não conseguiu permanecer nos caminhos de Deus e ser fiel até a sua morte.
Seria diferente se tivesse seguido o que ele próprio aconselhou no fim do seu livro de Eclesiastes: "De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más."

R David Jones 

 

                      considerações

SALOMÃO ALCANÇOU UMA SABEDORIA, ACIMA DA MÉDIA DE QUALQUER OUTRO MORTAL.

MAS, MESMO ESTANDO ACIMA  DE QUALQUER MORTAL EM SABEDORIA, SE DESVIOU DOS CAMINHOS DE DEUS, CONSOLIDANDO EM SEU REINO O ECUMENISMO E AGRADANDO AS VÁRIAS RELIGIÕES (ESPOSAS) E DESAGRANDANDO A DEUS, POR TER MISTURADO O SANTO DE DEUS ALTÍSSIMO COM O PROFANO DOS DEMÔNIOS CONHECIDOS COMO: DEUS BAAL, OU MOLOQUE, OU MILCON, OU NINROD ( DEUS SOL, SENHOR DO DOMINGO ), OU SEMIRAMIS, OU INSTAR, OU ASTAROTE, DEUSA LUA CONHECIDA COMO RAINHA DO CÉU.  

            

                      A FOGUEIRA PARA SACRIFICAR VIDAS AOS DEMÔNIOS

Moloch ou Moloque, conforme os textos bíblicos, é o nome do deus ao qual os amonitas, uma etnia de Canaã (povos presentes na península arábica e na região do Oriente Médio), sacrificava seus recém-nascidos, jogando-os em uma fogueira. Também é o nome de um demônio na tradição cristã e cabalística.

E ESTA PRÁTICA DE SACRIFÍCIO HUMANO JOGADOS NA FOGUEIRA, SE SEGUIU NO SÉCULO XIII AINDA PERFAZENDO  AS VONTADES DE DEMÔNIOS DAS RELEGIÕES PAGÃS DA BABYLÔNIA, COM O TÍTULO DE "SANTA INQUISIÇÃO".

                                             

                                             A INQUISIÇÃO

A Inquisição foi criada na Idade Média (século XIII) e era dirigida pela Igreja Católica Romana. Ela era composta por tribunais que julgavam todos aqueles considerados uma ameaça às doutrinas (conjunto de leis) desta instituição. Todos os suspeitos eram perseguidos e julgados, e aqueles que eram condenados, cumpriam as penas que podiam variar desde prisão temporária ou perpétua até a MORTE NA FOGUEIRA, onde OS CONDENADOS ERAM QUEIMADOS VIVOS EM PLENA PRAÇA PÚBLICA.

                                               

            OS SÍMBULOS DO FOGO E DO PEIXE

OS SÍMBULOS DO Fogo, e Do Peixe  TRANSPORTADOS DA RELIGIÃO PAGÃ BABILÔNICA E ENSERIDOS NO CRISTIANISMO, PERSISTIU E ATRAVESSOU AS DÉCADAS, SENDO USADOS ATÉ OS DIAS DE HOJE.

MAS DEVEMOS CONSIDERAR; QUE PARA SE LIVRAR DESTES ENGANOS O SENHOR DEUS É QUEM NOS DÁ O CAMINHO NO LIVRO DE PROVÉRBIOS

PROVÉRBIOS 2: 16 E 17.

16.PARA TE LIVRAR DA MULHER ESTRANHA E DA MULHER ESTRANGEIRA, QUE LISONJEIA COM SUAS PALAVRAS.

17.A QUAL DEIXOU O GUIA DA SUA MOCIDADE E ESQUECE DO CONCERTO DO SEU DEUS.  (GRIFO -  AQUI É MENCIONADO AS DUAS IGREJAS " A QUAL DEIXOU, AO INVÉS DE DEIXARAM" NO SINGULAR POR SEREM AS DUAS UMA SÓ COMO IGREJA INFIEL -GRIFO MEU.)

OBS;  MULHER ESTRANHA SÃO AS IGREJAS COM UMA DOUTRINA ANTIBÍBLICA E IRRECONHECÍVEL POR DEUS. E A MULHER ESTRANGEIRA É A GRANDE IGREJA DE NOME ESTRANGEIRO E QUE É ESTRANGEIRA ATÉ EM SEU PAÍS DE ORIGEM.

O CONCERTO DE DEUS PARA COM OS HOMENS FOI FEITO NA CRUZ ATRAVÉS DO SACRIFÍCIO DE JESUS CRISTO O MESSIAS .

  PENSE NISSO !

BÍBLIA DE ESTUDO. PENTECOSTAL. FERREIRA DE ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA DE 1995  

 

3 comentários:

  1. poligamia
    substantivo feminino
    1.
    união conjugal de uma pessoa com várias outras.

    Só uma observação: Em deuteronômio 25:5-10 não está falando sobre poligamia e sim que, se o marido FALECER, aí sim o irmão poderia casar-se com a sua cunhada para que o seu nome não subisse na história

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ASSUNTO DESTE TEXTO SE REFERE EM UMA ANALOGIA AS IGREJAS QUE SUPOSTAMENTE SE REFEREM A DEUS. MAS NA VERDADE TEM NA PRÁTICA A CONDUTA DE SERVIR O MUNDO.

      Excluir